Notícias

Cigarro eletrônico é uma tendência perigosa

Para usuários de cigarro eletrônico a chance de ter um infarto aumentam em 42%


O Sesc Saúde em Dia realizará palestra com o tema: CIGARRO ELETRÔNICO UMA TENDÊNCIA PERIGOSA. O evento acontecerá no dia 20 de julho, às 19h, no Sesc Centro, com entrada gratuita, a palestrante será a enfermeira especialista em Saúde Pública e Enfermagem do Trabalho, Nara Ferreira Borges.  

Em qualquer balada e em bares no final de semana, a proporção entre jovens e seus pen-drives soltadores de fumaça impressiona e aumenta. Os vapes estão deixando de ser exclusivos das festas e batendo ponto em colégios, faculdades e escritórios, o vício está em todo lugar. Inicialmente os cigarros eletrônicos, eram defendidos como opção para quem queria parar de fumar, mas já se vê uma epidemia de nicotina entre os jovens. 

Veja como as estatísticas confirmam isso: O percentual de pessoas de 18 a 24 anos que já experimentaram cigarro eletrônico é quase três vezes o da população; em média, um maço de cigarro comum rende 300 tragadas, um vaporizador pode oferecer 1,5 mil, muitas vezes, com bem mais nicotina; ao usá-lo, o adolescente pode ter 50% mais chances de ter uma asma. 

No Brasil a importação e propaganda desses cigarros é proibida, e cerca de 19 projetos de lei sobre o tema tramitam no Congresso. Assim como os vapes, que são ilegais por aqui, estima-se que quase metade (48%) dos cigarros consumidos no Brasil sejam comercializados de forma ilícita, um prejuízo de mais de R$ 86 bilhões aos cofres públicos nos últimos 10 anos.

Os esforços para reduzir o número de fumantes nas últimas décadas estão indo por água abaixo, o Malboro do seu avô passou o posto para o JUUL de menta da sua turma. São inúmeros os riscos de quem usa dispositivos eletrônicos para fumar, para os usuários de cigarro eletrônico a chance de ter um infarto aumenta em 42%, alerta a pneumologista do InCor.  

As inscrições serão realizadas pelo site do Sesc Goiás e a palestra terá cerca de 80 minutos de duração para atender os Trabalhadores do Comércio/Dependentes e Público em geral, informações pelo telefone (62) 3933-1723 ou (62) 9680-2314 (Whatsapp).