Exposições

04 de out a 30 nov, 2021
Verifique os horários
Sesc Centro, Goiânia

Entre o eu e o sempre

Data: 26/10
Horário: 18h
Proponente: Sandro Torres Batista
Transmissão pelo canal do Sesc no YouTube (youtube.com/sescgo)

Eu sinto muito
Data: 28/10
Horário: 18h
Proponente: Anna Carolina Cruz
Transmissão pelo canal do Sesc no YouTube (youtube.com/sescgo)
Trata-se de uma exposição sobre o sentir. A artista trabalha corações em técnicas variadas para passar sentimentos. 

Formas da Natureza
Data: 29/10
Horário: 18h
Proponente: Jô Jasnievski
Transmissão pelo canal do Sesc no YouTube (youtube.com/sescgo)
A exposição guiada de aquarelas da aquarelista e artesã Jô Jasnievski conta com 28 aquarelas autorais que abrangem temas e formas da natureza, produzidas em papel para aquarela  (300g) Fabriano e Hahnemuhle, em tamanhos que variam de 21cm x 15cm até 28cm x 30cm,  nas técnicas de aquarela e nanquim, além de dois vídeos com o processo acelerado da produção de duas dessas peças. As pinturas são relacionadas com sons e música à fim de guiar o público por obras que passeiam por variados elementos da natureza, desde plantas até animais e as construções humanas, também educando o espectador sobre a técnica de pintura em aquarela, que surgiu há mais de 2000 anos na China e utiliza pigmentos suspensos ou dissolvidos em água, passando ao longo dos anos da visão preconceituosa de pintura fútil e muito feminina, ao sucesso entre gerações de todas as idades.


NOVEMBRO

01 de novembro

18h - Tartarugas - com Alessandra Teles
Classificação: Livre 
As tartarugas representam a perpetuação da vida ao longo de mais de 100 milhões de anos. Diante dessa importância, desenvolvi essa exposição a fim de representar o papel essencial das tartarugas no nosso ecossistema, já que elas são peça chave para a conservação dos nossos oceanos e rios; e trazem grandes benefícios para nós, seres humanos.
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)

19h – Ensaio sobre a saudade líquida – com Patrícia Neves
Classificação: Livre
A exposição de fotografia, aborda o assunto, pandemia. O covid 19. É um apanhado de situações que expressam a impotência do ser humano diante do que mais o assusta. Que é a solidão seguida de morte. Cenas que retratam, desde àqueles que ignoram a existência da pandemia, até aos que ficaram de luto, por perderem  seus entes queridos. Dor, solidão, saudade  e a eterna  separação.  Ainda que o assunto abordado trás consigo, imagens de dor. Não são chocantes. E sim, tocantes!  A intenção, é levar o observador à "viajar" se colocando no lugar do outro. Fazendo assim com que o mesmo seja mais solidário, humano e dê valor ao que tem valor. VIDA!
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)

03 de novembro

18h - Requeijão moreno — sinônimo de felicidade - com Nara Cunha Pim
Classificação: Livre
Requeijão moreno faz parte da tradição em Goiás. O produto desperta a memória afetiva de muitos goianos, que não dispensam a iguaria regada a um cafezinho coado na hora! Mas como quase vinte litros de leite se transformam nessa maravilha gastronômica? A jornalista Nara Cunha Pim foi até uma fazenda no município de Bonfinópolis para acompanhar de perto a produção! Nara também conversou com quem vende, compra e inventa receita na cozinha com requeijão moreno. O resultado você vê neste fotodocumentário de dar água na boca!
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)

19h - Exposição Artística de Dinossauros e Paleoarte - Pintura Digital – com Heitor de Sá Oliveira
Classificação: Livre
Vídeo divulgado pelo autor e pela rede do Sesc contendo uma exposição das obras de Heitor de Sá Oliveira, envolvendo Dinossauros em pintura digital.  Uma breve descrição das obras será feita, mostrando os processos criativos, desenhos descartados e sketches. Após essa exposição, será mostrada, no mesmo vídeo, a criação de uma obra do autor, sobre o assunto Paleoarte, em que será exemplificado e detalhado todo o processo para a criação e finalização da pintura.
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)

04 de novembro

18h - Suspensão Permanente - Diálogos Processuais - com Isanone Filho
Classificação: A partir de 12 anos
A produção artística e cultural é uma ferramenta muito importante para refletirmos acerca da condição humana, os processos que nos permitem nos constituir enquanto sociedade e principalmente, os desdobramentos subjetivos das nossas construções (sociais, físicas ou simbólicas). Levando em conta todas as transformações e tragédias que vem acontecendo nos últimos meses, é de extrema importância que criemos narrativas capazes de expressar a forma tão peculiar e dramática de existência que estamos experienciando. A exposição conta com uma série de ilustrações digitais que tem como tema principal o fazer artístico em tempos de pandemia, cada uma das ilustrações acompanha um relato de colegas artistas sobre seus processos e angústias. Uma reflexão coletiva sobre os desafios de criar em meio a incerteza.
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)

19h - Humanos Sentimentos - com Glória Mariano
Classificação: Livre
Esse trabalho foi inspirado nas emoções emergidas do cotidiano vivenciado por mim nos últimos anos. As obras foram concebidas pelos fios do dia a dia, da memória e de histórias que atravessam meu ser e deixam rastros que sintetizo em forma de arte. A palavra advém do vocábulo latino ars, e significa técnica ou habilidade. Trata-se de uma das manifestações humanas comunicativas mais antigas. Arte digital é qualquer tipo de manifestação artística produzida por meio de meios eletrônicos, como o uso de softwares e hardwares avançados que permitem a criação, a edição, o redimensionamento e outras modificações dentro do ambiente virtual. Ela nos ajuda a observar e a elaborar diferentes interpretações relacionadas a aspectos do mundo digital, como a internet e o relacionamento entre os seres humanos diante de todas as mudanças ocorridas no decorrer do tempo. São aparentemente simples, ao serem observadas rapidamente em nosso cotidiano, ao ponto de não nos darmos conta de que a arte digital contém indagações profundas que podem ser transformadas em diferentes relatos acerca da forma como nos enxergamos e nos situamos nesse contexto; como interpretamos a nossa realidade perante esse cenário pleno de formas criativas que nos parecem cada vez mais comuns, inusitadas e catárticas.
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)

05 de novembro 

18h - Fragmentos – com André Canhete
Classificação: Livre
Os Fragmentos são partículas de emoções dinamizadas, traduzidas em dança e video-dança ao longo dos últimos anos pandêmicos. Cada trecho interpretado por mim, traduzia um pouco dos momentos vividos em isolamento, que com o passar dos dias foram se transformando em um grande mosaico de memórias, experimentos, musicas, movimentos, efeitos especiais, e espíritos dos mais diversos. Um retrato dançado dos meus últimos 18 meses.
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)

19h - A estética do cerrado: Porque a vida é importante! – com Mari Sousa
Classificação: Livre
Com o intuito em promover uma relação de proximidade com a maior diversificação possível de pessoas, a proposta embrionária das minhas produções abarca a necessidade de uma representatividade intensa acerca do cerrado. Proposta essa que tem como função estética, o convite reflexivo acerca do cuidado com preservação do cerrado. Neste sentido, procuro aplacar o outro. Tocá-lo pelo intermédio de minhas obras sobre o quanto o cerrado é abundante em promover vida e, de maneira essencial, potencializar para a conscientização que devemos ter, pois, somos também, natureza. Utilizar da pintura para enfatizar a memória e preservação do cerrado brasileiro, retratando aves, pássaros e outros elementos pertencentes ao bioma desta região. Com uma expressão estética potente, promovendo um olhar cuidadoso e atento para a região centro-oeste que, juntamente com outras regiões do Brasil, estão ameaçadas de extinção.
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)

08 de novembro

18h - Amarg/cura, caF(un)É  - com Brenda Valentim, Brunna Curupira,  Ítalo Paz, Kárita Segato e Thays Souza
Classificação: Livre
Amargo, doce, angústia, lembrança, ansiedade, conexão, olfato, audição, tato. Umbigo, terapêutico, pó de CAFÉ, toques no corpo, memória, colonial. Barriga, jongo, não é só dor, tem felicidade , riso, Memória de ReExistência. Como fazer no corpo? Cuidar.  O presente trabalho traz consigo o elemento café enquanto uma linha que tece, ao longo de suas inúmeras facetas, a conexão interrelacional entre as experimentações de cinco artistas: Brenda Valentim, Brunna Curupira, Ítalo Paz, Kárita Segato e Thays Souza. Fotografias e edição: Regina Esteves - Casa da Fotografia Rosary Esteves.
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)


09 de novembro

18h – Sala de Poema - com Nádia Aparecida Pires
Classificação: A partir de 14 anos
Conceito de poema, declamações, poema com fotografia, convite pra interação.
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)

10 de novembro

18h - O Narciso de Ozymandias – com Luiz Felipe Prado e TulaDevi
Classificação: A partir de 14 anos
"Meu nome é Ozymandias, rei dos reis: Contemplai as minhas obras, ó poderosos e desesperai-vos!". O Narciso de Ozymandias traz a sua beleza plástica em uma persona imediatista, ansiosa e iconoclasta, o seu ego é voltado para o que é artificial, seja na natureza das coisas ou nas relações humanas, o mais importante é ele mesmo e o que lhe traz prazer, o que leva a refletir no seu gosto pelo plástico, elemento moldável aos prazeres do ser, dando forma a tudo que ele deseja. O prazer, o ego, o narcisismo e o gozo são as suas buscas, ele faz uso de seu corpo como obra e inserção dos seus desejos ao mesmo tempo que artista e obra se confundem, um corpo papel de seus atravessamentos. Nesse ciclo vicioso o tempo se torna inimigo deste personagem, seu poder efêmero se esgota como a areia de uma ampulheta, explicitando a rivalidade entre tempo e poder, mostrando como o amanhã corrói o hoje, e assim por diante. Até mesmo o plástico, que leva anos para se decompor também é findável.
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)


11 de novembro

18h - As cores da alma – com Valtecy Ferreira Batista
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)

12 de novembro

18h - Bordados com história – com Miria Lua César Jaimes
Transmissão pelo canal do Sesc no Youtube (youtube.com/sescgo)

É gratuito